EMAGRECER: O PESO DA ADERÊNCIA

passar-fome-dieta-para-emagrecer

Ao longo dos últimos 40 anos diversas dietas e estratégias nutricionais para perda de peso foram disseminadas pelo globo terrestre. Apesar disso, a prevalência de sobrepeso e obesidade aumentou expressivamente. Ainda hoje, observamos frequentemente o surgimento de novas promessas para combater a obesidade. Entretanto, quando se trata de emagrecer não basta escolher uma estratégia que de fato faça seu corpo mobilizar e oxidar (gastar) mais gordura promovendo a tão sonhada, e muitas vezes tão necessária, redução de gordura corporal (emagrecimento). Além de escolher uma boa estratégia é necessário observar se você ou seu paciente terão aderência à estratégia escolhida. Várias estratégias apresentam potencial para reduzir a adiposidade corporal. É possível emagrecer com restrição energética contínua, jejum intermitente, dieta hiperproteica, low carb, vegetariana, dentre outras. Ao se pesar a eficácia e diferenças entre essas dietas para se obter sucesso, é fundamental que haja aderência a dieta escolhida.

Um estudo realizado pelo centro médico acadêmico de Boston testou os efeitos de 4 dietas (Atkins, Ornish, weight Watchers e zone) sobre o peso corporal e risco cardíaco de sujeitos com sobrepeso e obesidade (IMC entre 27  a  42 e idade entre 22 a 72 anos). Os pesquisadores dividiram randomicamente 160 sujeitos de modo que cada tipo de dieta era realizado por 40 pessoas. Nos primeiros dois meses, os participantes receberam suporte dos pesquisados e foram incentivados a seguir as dietas.  Aos seis meses, 38% dos participantes já haviam abandonado o estudo e apenas 58% completaram um ano do estudo. A aderência dos participantes às dietas reduziu progressivamente. Os autores usaram uma escala de 0 a 10 para determinar o nível de aderência e apenas 25% dos participantes mantiveram aderência às dietas entre 6 e 10. Como resultado, foi observado perda de peso discreta após 12 meses de estudo (menor média Atkins = 3,9kg e maior média Ornish = 6,6kg) entre os sujeitos que terminaram o estudo. A perda de peso foi fortemente associada à aderência e não ao tipo de dieta.

Este post não tem objetivo de comparar os tipos de dietas ou estratégias para redução da adiposidade corporal. Precisamos saber que não basta apenas escolher uma estratégia para perda de peso, é preciso executar corretamente a estratégia escolhida. Mesmo a melhor estratégia para perda de peso não será eficiente se for mal executada. No estudo relatado acima os dados de ingestão alimentar mostram que nos primeiros 2 meses os participantes mantiveram melhor as características de cada dieta, depois desse tempo ocorreram mudanças na composição das dietas que descaracterizam os princípios de cada dieta. Por exemplo, aos 2 meses os sujeitos engajados na dieta Atkins consumiam média 137 g de  carboidrato por dia. Aos 6 meses já estavam consumindo 190 g/d de carboidratos. Os pesquisadores incentivaram os participantes a iniciar o estudo consumo 20 g/dia e aumentar progressivamente até 50 g/dia. Isso não aconteceu no estudo.

Em outro estudo realizado por Gardner e seus colaboradores (2007), os pesquisadores avaliaram os efeitos de 4 tipos de dietas (Atkins, Ornish, Learn e Zone) durante um ano em 311 mulheres com sobrepeso e obesidade e idade entre 25 e 50 anos. Embora a aderência ao estudo tenha sido elevada (80% das mulheres completaram um ano de estudo) a aderência às dietas não foi boa. No período avaliado todos os grupos apresentaram reganho de peso, principalmente a partir de 6 meses. Os pesquisadores fizeram vários esforços para evitar o abandono durante o estudo, incluindo incentivo financeiro.

Enfim, tão importante quanto escolher uma boa estratégia para redução da gordura corporal é executar com precisão a estratégia adotada. Comumente observamos pessoas iniciarem novos projetos, como adoção de uma dieta e exercícios físicos para perda de peso, e abandonarem precocemente. Outros persistem, mas sem o devido compromisso, acabam não seguindo corretamente as orientações dos profissionais. O lado triste dessa situação é que ela conduz ao fracasso. Se você deseja emagrecer terá que parar de se boicotar. Saiba que você pode fazer muito mais do que pensa que pode fazer (veja o vídeo do link abaixo). Seguir um plano alimentar e melhorar sua saúde e estética é algo simples para alguém dotado de tanta capacidade como você. Mude sua maneira de agir e sua vida será muito melhor. Até logo.

Vídeo: https://www.youtube.com/results?search_query=desafio+de+gigantes

Foto: referência google imagem

REFERÊNCIAS:

DANSINGER, Michael L. et al. Comparison of the Atkins, Ornish, Weight Watchers, and Zone diets for weight loss and heart disease risk reduction: a randomized trial. Jama, v. 293, n. 1, p. 43-53, 2005. Acesso em:
http://indiana.edu/~k536/artcles/diet/popular%20diet%20JAMA.pdf

GARDNER, Christopher D. et al. Comparison of the Atkins, Zone, Ornish, and LEARN diets for change in weight and related risk factors among overweight premenopausal women: the A TO Z Weight Loss Study: a randomized trial. Jama, v. 297, n. 9, p. 969-977, 2007. Acesso em: http://www.umass.edu/kinpedlab/sites/default/files/publications/Gardner_A%20to%20Z%20Main%20Diet%20Study.pdf

Por Wilson César de Abreu

2 Comentários

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*