JEJUM INTERMITENTE PARA ATLETAS DE ENDURANCE

O uso de jejum intermitente tem se tornado cada vez mais comum entre esportistas. No entanto, muitas dúvidas permanecem sobre seus benefícios no desempenho físico. Quando se trata de atletas a maioria dos estudos realizado até o momento se refere aos atletas mulçumanos que praticam o Jejum durante o Ramadan que corresponde ao nono mês do calendário Islan. Neste mês os mulçumanos praticam jejum total (restrição de alimentos e líquidos) durante o período diurno (desde o nascer  até o pôr-do-sol). O jejum praticado pelos mulçumanos não é indicado para atletas, uma vez que a restrição de alimentos inclui a não ingestão de líquidos, o que favorece a desidratação. Além disso, esse jejum deve ser durante o período diurno dificultando a realização de treinos e participação em competições.

Em 2011 Brisswalter e seus colaboradores realizaram um estudo com corredores de meia distância bem treinados. Os autores realizaram testes de performance uma semana antes do início do Ramadan e na última semana do Ramadan. Os autores observaram redução significativa na performance em um teste de 5000m. Nesse teste, o tempo médio  do grupo que relizou o Ramandan  aumentou de 14:18 (quatorze minutos e dezoito segundos) para 15:03, ou seja, houve uma perda importante de rendimento. O tempo do grupo controle (não praticou Ramadan – não eram mulçumanos) reduziu dois segundos. Em 2017 Bouguerra e seus colaboradores avaliaram a performance de atletas de endurance altamente treinados antes, durante e após o Ramadan. Os atletas foram divididos em grupos que treinavam em momentos diferentes ao longo do dia (9:00h, 16:00h e 22:00h). Embora os autores tenham observado que os atletas que treinavam à tarde apresentaram melhora da capacidade aeróbia nos testes realizados três semanas após o Ramandan, a performance foi reduzida para todos os grupos durante o Ramadan (período que estavam praticando o jejum).

Atletas mulçumanos podem minimizar ou até evitar a queda de rendimento se seguirem as seguintes recomendações (Anis et AL., 2009):

  • Manter a ingestão de energia e macronutrientes adequada;
  • Manter a carga de treinamento adequado;
  • Manter o sono adequado (quantidade e qualidade).

Atletas que não precisam praticar jejuns por motivos religiosos devem repensar o uso de qualquer tipo de jejum para melhorar o rendimento esportivo. Caso tenha interesse nesse tipo de estratégia devem buscar ajuda profissional para escolher o melhor protocolo considerando sua modalidade esportiva, programação de treinos e cronograma de competições. Além disso, a ajuda do nutricionista é essencial para determinar a ingestão correta de energia e nutrientes durante a janela alimentar.

REFERÊNCIAS

ANIS, Chaouachi et al. Effects of Ramadan intermittent fasting on sports performance and training: a review. International Journal of Sports Physiology and Performance, v. 4, n. 4, p. 419-434, 2009.

BRISSWALTER, Jeanick et al. Effects of Ramadan intermittent fasting on middle-distance running performance in well-trained runners. Clinical Journal of Sport Medicine, v. 21, n. 5, p. 422-427, 2011.

BOUGUERRA, L. et al. The effect of time-of-day of training during Ramadan on physiological parameters in highly trained endurance athletes. Biological Rhythm Research, p. 1-15, 2017.

Por Wilson César Abreu

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*